ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Relação de interligam comprimento cabeça-nádega discrepância de corionicidade, morte fetal e discordância peso ao nascer.

Relação de interligam comprimento cabeça-nádega discrepância de corionicidade, morte fetal e discordância peso ao nascer.



OBJETIVOS:
Para estudar o significado clínico de freqüência e comprimento cabeça-nádega discrepância (CRL) em 11-14 semanas de gestação gemelar, a partir de uma população não selecionada.
MÉTODOS:
Esta foi uma análise retrospectiva de todos gravidez de gêmeos que foram submetidos a uma verificação de 11-14 semanas de rotina em um hospital de grande porte. Perda fetal foi definida como morte fetal de um ou ambos os gémeos, após 14 semanas.
RESULTADOS:
Um total de 507 gestações gemelares foram estudados; 382 (75,3%) foram dicoriônicas e 125 (24,7%) eram gêmeos monocoriônicas. A discrepância em CRL foi expressa como uma percentagem da CRL da maior duplo. A 95 (dia) e 99 percentil (th) para a discrepância CRL em gêmeos foi de 12,2% e 19,3%, respectivamente. A discrepância nos CRLs em gêmeos monocoriônicas e dicoriônicas não foi significativamente diferente (Mann-Whitney U = 22.406, P = 0,302). Em 39 pares de gêmeos, houve subseqüente morte intra-uterina de um ou ambos os gêmeos. Perda fetal foi mais comum em gêmeos monocoriônicas (24/125) do que em gêmeos dicoriônicas (15/382) (qui-quadrado = 30,9, P <0,001). Em gêmeos monocoriônicas, a discrepância em CRLs nos 24 casos com subseqüente perda foi significativamente maior do que nos 101 pares de gêmeos, sem perda subseqüente (Mann-Whitney U = 896, P = 0,048). A discrepância em CRLs em 15 gémeos dicoriônicas com perda subsequente não foi diferente do que nas 367 gémeos sem perda (Mann-Whitney U = 2116,5, P = 0,129). A discrepância CRL foi significativamente correlacionada com peso de nascimento discordância em gêmeos (rho de Spearman = 0,128, P = 0,006). No entanto, isso foi devido a uma correlação significativa em gêmeos dicoriônicas (rho de Spearman = 0,127, P = 0,016), mas não em gêmeos monocoriônicas (rho de Spearman = 0,145, P = 0,14).
CONCLUSÕES:
Perda fetal está associado à discrepância de CRL na varredura 11-14 semanas em gêmeos monocoriônicas e discordância em peso ao nascer está associado à discrepância na CRL em gêmeos dicoriônicas. No entanto, intertwin discrepância CRL é de valor limitado na triagem para esses eventos adversos.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=%22Relationship+of+intertwin+crown-rump+length+discrepancy+to+chorionicity%2C+fetal+demise+and+birth-weight+discordance.%22

VEJA TAMBÉM:

  • Previsão de aborto e natimorto em 11-13 semanas e a contribuição da biópsia de vilo corial
  • Triagem Aneuploidia: uma declaração de posição de uma comissão em nome do Conselho de Administração da Sociedade Internacional de Diagnóstico Pré-Natal, janeiro de 2011.


  • Texto Original



    OBJECTIVES:
    To study the frequency and clinical significance of crown-rump length (CRL) discrepancy at 11-14 weeks of gestation in twin pregnancies from an unselected population.
    METHODS:
    This was a retrospective analysis of all twin pregnancies that underwent a routine 11-14-week scan at a large teaching hospital. Fetal loss was defined as fetal demise of one or both twins after 14 weeks.
    RESULTS:
    A total of 507 twin pregnancies were studied; 382 (75.3%) were dichorionic and 125 (24.7%) were monochorionic twins. The discrepancy in CRL was expressed as a percentage of the CRL of the larger twin. The 95(th) and 99(th) centile for CRL discrepancy in twins was 12.2% and 19.3%, respectively. The discrepancy in CRLs in monochorionic and dichorionic twins was not significantly different (Mann-Whitney U = 22,406, P = 0.302). In 39 twin pairs, there was subsequent intrauterine death of one or both twins. Fetal loss was more common in monochorionic twins (24/125) than in dichorionic twins (15/382) (chi-square = 30.9, P < 0.001). In monochorionic twins, the discrepancy in CRLs in the 24 cases with subsequent loss was significantly greater than in the 101 twin pairs with no subsequent loss (Mann-Whitney U = 896, P = 0.048). The discrepancy in CRLs in 15 dichorionic twins with subsequent loss was not different from that in the 367 twins with no loss (Mann-Whitney U = 2116.5, P = 0.129). The CRL discrepancy was significantly correlated with birth-weight discordance in twins (Spearman's rho = 0.128, P = 0.006). However, this was due to a significant correlation in dichorionic twins (Spearman's rho = 0.127, P = 0.016) but not in monochorionic twins (Spearman's rho = 0.145, P = 0.14).
    CONCLUSIONS:
    Fetal loss is significantly associated with discrepancy in CRL at the 11-14-week scan in monochorionic twins and discordance in birth weights is significantly associated with discrepancy in CRL in dichorionic twins. However, intertwin CRL discrepancy is of limited value in screening for these adverse events.


    VEJA TAMBÉM:

  • As distribuições de corrente e novo no primeiro trimestre de Down marcadores da síndrome de triagem em gestações gemelares
  • Comparação entre ultrassonografia e tomografia computadorizada de feixe cônico para exame do nível ósseo alveolar: uma revisão sistemática